BLOG

Entenda as regras de proteção de dados B2B e como elas afetam as empresas em 2021

Regra de proteção de dados B2B

Lei nacional e regulamentações internacionais asseguram a privacidade dos dados particulares

Você, empresário, já deve ter ouvido falar na Lei  nº 13.709/2018, também conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que já está em vigor, mas cujas penalidades só passarão a ser aplicadas a partir de agosto de 2021. Para preparar a sua empresa realizamos este artigo sobre regras de proteção de dados B2B, confira!

De modo geral, a lei visa à proteção dos dados privados dos cidadãos aos quais as empresas têm acesso, como número de documentos, dados bancários e até mesmo raça, orientação sexual e religião, demonstrando de forma transparente para que finalidades esses dados serão utilizados. No entanto, um fator que muitos empresários não sabem é que a LGPD não prevê a proteção dos dados de pessoas jurídicas.

Por esse motivo, as empresas que realizam negócios business-to-business (B2B) não seriam impactadas diretamente pela lei, uma vez que a empresa não mantém relações comerciais com pessoas físicas.

Contudo, é importante observar que, para alguns casos, em que essas empresas administram ou têm acesso a banco de dados de pessoas físicas, como é o caso de fornecedoras de softwares ou aplicativos, é necessário seguir as determinações da lei.

Por outro lado, algumas legislações e regulamentações de outros países, contemplam a proteção dos dados das empresas em negócios B2B envolvendo uma empresa estrangeira que mantenha relacionamento comercial com outra empresa estabelecida naquele país ou estado. E são essas regulamentações que podem trazer prejuízos às empresas. Vejamos alguns exemplos vigentes no ano de 2021:

  • CAN – SPAM – Estados Unidos: desde 2003, os EUA têm uma lei intitulada CAN-SPAM, por meio da qual exige que não haja desonestidade no envio de propaganda por e-mail e que o emissor disponibilize um botão ou outro meio para que o usuário não receba mais aquele tipo de conteúdo, caso não queira. Nesse caso, cabe à empresa suspender o envio em até 10 dias e o mesmo vale para empresas B2B que utilizam essas estratégias de marketing.
    O descumprimento dessa norma pode resultar na aplicação de multa que pode chegar a US$16.000 por e-mail enviado em desacordo com a lei.

.

  • GDPR – União Europeia: em vigor desde maio de 2018 em todos os países da União Europeia (UE) e do Espaço Econômico Europeu (EEE), a General Data Protection Regulation (GDPR) é talvez a norma que ficou mais conhecida no cenário internacional.
    Na GDPR, as regras também se aplicam a empresas B2B e consistem basicamente em adotar critérios de proteção dos dados, dando aos proprietários dos dados o controle de quem tem acesso a essas informações e para que finalidades elas serão usadas.
    Também é importante destacar que as práticas de e-mail marketing são permitidas, contanto que seja possível provar há um “interesse legítimo” por aquele determinado conteúdo.
    O descumprimento dessas exigências pode acarretar o pagamento de multas que chegam a até €20 milhões.

.

  • CASL – Canadá: a Canada’s anti-spam legislation (CASL), legislação canadense para controle de envio de e-mails não autorizados, também é bem rigorosa em relação à prática de envio de e-mail por empresas B2B. Nesse caso, há uma definição que só será permitido o envio de e-mail marketing, por exemplo, se o dono do e-mail autorizar previamente o recebimento ou caso esse endereço de e-mail esteja publicado no site da empresa (ou outro meio de divulgação pública). Quando houver, ainda é necessário que o endereço de e-mail divulgado não esteja acompanhado de um termo que desautoriza o envio de conteúdo de marketing para este determinado endereço.
    As multas por descumprimento podem chegar a US$10 milhões.

.

  • CPRA – Califórnia: uma das mais recentes leis criadas com foco na proteção de dados é a California Privacy Rights Act (CPRA), criada em janeiro de 2020, e aprovada em agosto de 2020. No caso de negócios B2B, a lei é aplicável a empresas nacionais e internacionais que mantêm relações comerciais com empresas sediadas no estado da Califórnia (EUA).

.

Em linhas gerais, a CPRA segue as mesmas exigências da GDPR em relação à necessidade da empresa deixar claro para que fins serão utilizados os dados e também enviar o e-mail marketing considerando o interesse legítimo do destinatário.
Contudo, as regras para atividades de marketing B2B da CPRA ainda não precisam ser cumpridas integralmente em 2021. Em relação ao pagamento de multas, será cobrado o valor de US$7.500 se a infração for considerada intencional.

Considerando esse avanço de leis de proteção de dados ao redor do mundo e o fato do Brasil já ter a sua própria legislação, é recomendável que as empresas B2B já comecem a observar as práticas mundiais considerando possíveis mudanças na legislação nacional.

Por isso, listamos algumas dicas para você realizar na sua empresa:

  • Mapeie as empresas com as quais mantém relação comercial e avalie se elas têm sede em alguma das regiões cobertas por alguma lei de proteção de dados;
  • Caso tenha, observe as regras de cada região para adequar a estratégia de marketing;
  • Faça um levantamento de todos os dados pessoais/empresariais tratados na empresa (cadastro de clientes e funcionários, banco de dados, listas de e-mails etc.);
  • Confira quais são os mecanismos de acesso a essas informações e se há, ou precisam ser implantadas, barreiras para evitar o acesso não autorizado, tanto interno quanto externo;
  • Instale softwares de segurança para evitar o vazamento de dados ou utilização indevida do nome da empresa;
  • Treine e capacite os colaboradores da empresa para compreenderem a responsabilidade individual e coletiva na proteção dos dados aos quais têm acesso;
  • Pesquise informações atualizadas para garantir que sua empresa esteja em total conformidade com as leis.

Para acompanhar mais informações sobre esse e outros assuntos pertinentes ao mercado de maquinários agrícolas, acompanhe o conteúdo disponível em nosso blog

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

VEJA TAMBÉM

Concessionárias autorizadas com quais trabalhamos